Translate

SAÚDE NO CORPO: RELAXAMENTO E OUTRAS ATIVIDADES FISICAS

                           O Relaxamento Progressivo do Dr. Jacobson


O Dr. Edmund Jacobson consegue o relaxamento progressivo através de uma comparação tenso-solto, tenso-solto, em todos os músculos do corpo. Este relaxamento é ativo.
“Dentro de um corpo relaxado não pode existir uma mente nervosa”, diz o Dr. Jacobson.
Seu método desenvolve a consciência muscular. Vai se centrando em separado em todos os grupos de músculos. Toma consciência da tensão acumulada em cada um deles e solta logo a tensão.
O Dr. Jacobson nega fenômenos estranhos, como por exemplo, separar-se do corpo.
A experiência demonstra que nas primeiras sessões, alcançando um grau profundo, pode-se sentir sensações estranhas. Nesse caso o melhor é suspender os exercícios. Mas isto acontece raras vezes.

Postura: Sentado ou Deitado

1. Feche os olhos e sinta-se flutuando mentalmente.
2. Estique as pernas e coloque os pés em forma de garras.
Aperte forte, sinta a tensão e aumente-a.
Inspire fundo e enquanto o faz, veja como a tensão flui até esse local, como água de um manancial ou como corrente elétrica, use qualquer imagem que lhe pareça agradável e fácil.
Depois de manter a atenção enquanto inspira, conte até cinco e relaxe os músculos, expirando lentamente, ao mesmo tempo em que visualiza a tensão, o estress e as preocupações desaparecendo como fumaça levada pela brisa. Sinta a diferença entre a tensão muscular antes e depois do exercício.
Continue com...
3. Panturrilhas e pernas, proceda como no exercício 2, e continue assim nos próximos itens.
4. Glúteos, ventre e genitália.
5. Peito (pulmões).
6. Costas
7. Mãos
8. Antebraços e braços
9. Ombros
10. Pescoço (é o mais difícil, porque há muita tensão acumulada). Depois do exercício, gire a cabeça várias vezes, lentamente, primeiro para a direita, até o máximo e depois para a esquerda. Logo, tente tocar com a orelha esquerda o ombro esquerdo, continue o movimento colocando a cabeça para trás, olhando para o teto e girando até tocar o ombro direito com a orelha direita, continue o giro para a frente até que o queixo toque seu peito. Faça-o três vezes para a um lado e três vezes para o outro.
11. Mandíbulas (morda forte... relaxar e abrir – aqui também há muita tensão).
12. Lábios e boca (contrair em forma de U).
13. Pálpebras (aperte fortemente e solte-as, pensando que um líquido morno sai delas e se espalha por todo o rosto).
14. Testa e couro cabeludo.
Como se vê, esta técnica consiste em retesar um grupo de músculos enquanto se inspira, se retêm o ar alguns segundos e depois se afrouxa gradativa e completamente a tensão enquanto se espira de forma lenta e plena. Com cada expiração, procure jogar para fora dos pulmões todo o ar que puder, sem que isto o deixe desconfortável.
Agora, repita todos os ítens novamente, mas somando um ao outro. Pés, depois pés e pernas, depois pés, pernas e glúteos, e assim por diante, até chegar à testa. Aqui fica todo o corpo contraído. Retese ao máximo possível, conte até 5 e... relaxe!

Vantagens

 Evita tensões
 Deixa mais reservas energéticas
 Dá mais tranqüilidade e confiança
 Ajuda a conciliar o sono
 Cura pequenas fobias e tiques nervosos

Tente localizar uma imagem ou experiência que possa identificar este estado de relaxamento e de plena calma. Assim, toda vez que praticar auto-hipnose pode reforçar essa imagem e alcançar mais rapidamente essa sensação de relaxamento. Finalmente, com a prática, a imagem, isolada ou lembrança, atuará como apoio pós-hipnótico e produzirá a sensação de relaxamento.
Exemplos: A imagem de um boneco de tecido ou um macarrão cozido, um balão se esvaziando.
Enquanto estiver fazendo o exercício, veja em que partes de seu corpo existe mais tensão. Cada pessoa tem suas zonas especiais, onde se acumula mais tensão que as outras.
Na próxima vez trabalhe mais nessas zonas que as outras.









5 RITOS TIBETANOS PARA HARMONIZAÇÃO DOS CHAKRAS:



TAI CHI CHUAN:
video

Benefícios do Tai Chi Chuan

zen1O Tai Chi Chuan é uma arte milenar de origem oriental, com um sistema de práticas que beneficiam as pessoas num todo, equilibrando tanto a mente quanto o corpo.
As práticas de Meditação (Serenidade) e o Tai Chi Chuan são técnicas específicas para a obtenção de estados mentais tranqüilos, que podem ajudar na prevenção e na cura de doenças. O Tai Chi Chuan integra o corpo e a mente, a respiração e o movimento, as mãos e os pés. O corpo inteiro se torna integrado e move-se como um todo. A mente (Yi) é usada para dirigir a energia (Chi) e movimenta os membros do corpo. O movimento impulsiona o sangue através do sistema, ajudando no funcionamento adequado dos órgãos internos.
O Tai Chi Chuan é composto de movimentos abertos, redondos e relaxados, designados a estabilizar o equilíbrio das forças vitais do organismo (a união entre as forças vitais Yin e Yang). Isto ajuda todo o corpo a executar suas funções de maneira eficiente, sem a intervenção do trabalho de cada órgão. Através destes movimentos suaves, aprendemos o segredo da "imunidade contra doenças degenerativas". Com o conhecimento de como exercitar-se corretamente e com determinação a disciplinar-se consistentemente, adquirimos a saúde natural.
A prática do Tai Chi Chuan ocasiona um impacto no Sistema Nervoso Central e constrói uma fina base para o melhoramento dos outros nove sistemas orgânicos do corpo: sistema esquelético, sistema muscular, sistema circulatório, sistema linfático, sistema excretor, sistema endócrino, sistema nervoso, sistema digestivo e órgãos sensoriais.

Alguns benefícios da prática constante do Tai Chi Chuan: 

- aumento da vitalidade, dando mais energia e disposição;
- fortalecimento do sistema nervoso;
- aumento da atenção e concentração mental;
- desenvolvimento pleno do potencial mental e espiritual;
- equilíbrio total de todos os sistemas orgânicos do corpo;
- conquista da serenidade e o equilíbrio das emoções;
- auxilia na prevenção e redução do estresse e a sobrecarga mental;
- aumento da flexibilidade, proporcionando um relaxamento muscular em todo o corpo;
- fortalecimento do sistema imunológico ajudando na prevenção de doenças;
- superação dos medos e limites.
Veja algumas pesquisas comprovadas sobre os benefícios do Tai Chi Chuan.

Recomendações:

1 - Praticar com regularidade e persistência, procurando dominar as práticas para que os benefícios sejam maiores;
2 - Sempre que possível, treine em ambientes naturais, onde o ar fresco possa circular;
3 - O ideal é praticar logo de manhã, ao nascer do sol, na chamada hora da energia criativa;
4 - Permanecer relaxado e alegre durante o treinamento, pois muitos dos benefícios obtidos através do Tai Chi Chuan são de natureza mental;
5 - Usar roupas folgadas e sapatos sem salto para facilitar o fluxo da energia pelo corpo. Tirar relógio, anéis e pulseiras também é aconselhável;
6 - Respire e se movimente suave, graciosa e naturalmente, criando uma harmonia no fluxo da energia;
7 - Seja gentil e generoso ao lidar com todas as pessoas que estejam praticando junto.




Meditação frequente faz com que o cérebro fique mais atento e funcional



RIO - A pesquisadora Elisa Kozasa, do Instituto do Cérebro do Hospital Israelita Albert Einstein, é bióloga com pós-doutorado em Psicobiologia pela Unifesp e descobriu que a prática regular de meditação “economiza” neurônios porque mantém o foco em exercícios de atenção. Praticante de aikido há 32 anos, ela acredita que o grande trunfo seja relaxar em momentos de estresse.
De acordo com sua pesquisa, pessoas que meditam usam menos neurônios para executar as mesmas tarefas. É como se estas pessoas “economizassem” o cérebro?
Sim, entre aspas seria isso sim. Essas pessoas recrutam menos áreas cerebrais para executar as mesmas tarefas de atenção. É como se as pessoas que meditassem regularmente tivessem um cérebro mais eficiente para desempenhar estas tarefas.
Como isso acontece?
As práticas de meditação geralmente desenvolvem treinamento de foco de atenção, uma atenção sustentada. A gente interpreta que pessoas que praticam meditação com regularidade têm essa habilidade mais desenvolvida, fica mais fácil manter a atenção sustentada durante a tarefa de atenção.
O estudo usou ressonância magnética funcional por imagem para avaliar diferenças no cérebro de 20 meditadores e 19 não meditadores combinados por idade, sexo e nível de escolaridade. Os não meditadores mostraram maior atividade cerebral (giro frontal medial direito, giro médio temporal, giros pré e pós central, núcleo lentiforme) durante a execução das tarefas.
Qualquer pessoa consegue chegar a esse nível?
Nossa amostra era de gente como a gente. Havia duas pessoas com vida monástica, mas os meditadores da amostra tinham no mínimo três anos de prática constante: por 30 minutos, três vezes por semana, numa média de oito anos de tempo de meditação. E essa amostra foi suficiente para ver essa diferença entre meditadores e não meditadores. Esse artigo ficou como o mais baixado da revista “Neuroimage” por quase cinco meses. Ficamos bastante felizes e um tanto surpresos com o fato de um artigo sobre meditação despertar tanto interesse.
O estudo usou alguma técnica específica de meditação?
Fizemos o teste com pessoas de diferentes técnicas que meditavam regularmente. Acreditamos que exista um mecanismo similar entre as práticas — é claro que há diferenças entre elas também, mas mais específicas — que, em termos de atenção, funcionam de maneira similar. No estudo havia pessoas de meditação zen, de diferentes tradições budistas, praticantes de ioga que faziam práticas meditativas também, demindfulness, que é uma técnica de atenção plena que está bastante na moda. No outro grupo havia pessoas que nunca tiveram regularidade na prática de meditação.
Em que áreas os resultados do estudo podem ser aplicados?
O teste que usamos envolve atenção e controle de impulsos (Stroop Word-Colour Task — SWCT), em que aparece uma palavra verde pintada de vermelho, e a pessoa tem que escolher a cor vermelha, por exemplo. É um teste que exige manter atenção e inibir a tendência de ler a palavra em vez de escolher a cor. Observamos um potencial de atenção sustentada em quem pratica meditação. Hoje se fala muito em déficit de atenção, imaginamos que a prática de meditação pode ajudar as pessoas em vários setores da vida profissional, pode ser útil para atletas. O controle de impulsos é importante para regulação emocional, na área de saúde mental as práticas meditativas são bastante estudadas e podem ser úteis.
As áreas do cérebro relacionadas no estudo têm a ver com atenção, controle e comportamento. É possível que a meditação seja uma solução no tratamento de ansiedade ou vício em drogas, problemas ligados a esse controle do cérebro?
Essa experiência mostra sim, que se pode regular impulsos porque o SWCT é um teste de atenção e controle de impulsos. Já existe atualmente um protocolo de prevenção a recaídas para usuários de drogas que envolve meditação junto com terapias cognitivas.
Os resultados desse trabalho têm muito a ver com uma forma de tratamento para a vida que estamos levando atualmente, com tantos estímulos...
O grande problema é que somos bombardeados constantemente por estímulos, e isso faz com que tenhamos dificuldade de focar numa tarefa, iniciá-la e cumpri-la, tendo em vista a quantidade de estimulações que a gente recebe durante o dia. Esse treinamento de atenção da meditação não é aquela atenção com tensão física, é uma atenção relaxada. Aliás, um dos pontos importantes da meditação é a prática informal. A prática formal é quando a pessoa senta para praticar a meditação, em uma determinada postura, usando uma determinada técnica. Mas o mais importante é que a pessoa consiga resgatar esse momento durante o dia, no que faz, no que fala, na maneira de se alimentar, tudo no sentido de procurar ter uma vida melhor, isso é o mais importante.
A senhora acha que a chamada Geração Y, criada a partir de tantos estímulos, lida com isso de uma forma diferente?
Eu não trabalho com essa área de desenvolvimento, mas imagino — mais opinião que algo que eu tenha estudado, porque não é a minha área — que possam existir diferenças entre pessoas que já cresceram num ambiente de alto nível de estimulação, e pessoas que tiveram outro tipo de vida, mas seria necessário fazer um estudo longitudinal, acompanhando desde a infância o que pode estar acontecendo com o cérebro dessas pessoas para comprovar essa tese.
Como surgiu seu interesse pela meditação?
Eu tive o primeiro contato quando comecei a praticar aikido, a arte marcial japonesa com ênfase nos estados mais meditativos. No aikido o praticante se utiliza desses estados para realizar movimentos. Comecei a praticar com 12 anos e hoje, com 44 anos, sou instrutora, ou seja, tenho mais tempo treinando aikido que não treinando. Sem dúvida, observei isso em mim e em grandes mestres de artes marciais que têm essa habilidade meditativa de conseguir relaxar sob ataque, sob estresse. Isso diferencia um bom artista marcial de um mediano.
A senhora acha que no futuro a meditação estará mais presente no nosso cotidiano?
Já está. Em São Paulo, até as unidades públicas de saúde oferecem práticas de ioga, meditação e tai chi chuan, por exemplo. Hoje não há um clube ou academia que não ofereça aula de ioga, que também envolve práticas meditativas. Isso já faz parte do cotidiano de boa parte da população, e o interesse é cada vez maior, infelizmente, por questões de estresse tão comuns em centros urbanos. Um estudo recente apontou que 30% das pessoas da megalópole de São Paulo atingiram critérios de diagnóstico de transtorno mental.
http://oglobo.globo.com/saude/meditacao-frequente-faz-com-que-cerebro-fique-mais-atento-funcional-7339640 

---------------------------------------------------------------------------------------------------



Nenhum comentário:

Postar um comentário